terça-feira, 28 de julho de 2015

Clássico da Literatura Mundial - Projeto Leitura Mágica 2015

Rei Lear - William Shakespeare


 'William Shakespeare - Poeta nacional da Inglaterra e maior dramaturgo da literatura universal, escreveu suas obras para um pequeno teatro de repertório, no final do século XVI e início do XVII.
Sempre admirado na Inglaterra, foi sobretudo no começo do século XIX, com o romantismo, que sua figura alcançou indiscutível glória universal. Não seria exagerado afirmar que nenhum outro escritor exerceu influência equiparável sobre a literatura moderna.
Rei Lear  (1605-1606) transcorre em torno do enlouquecimento de um rei, que precisa descrever uma árdua trajetória para tornar-se simplesmente homem.
Esta tragédia é um magistral estudo psicológico das paixões humanas.' 

                                                                     ***
Obs: Contém spoiler                                                                     
'Rei Lear foi escrito  em meados de 1605, tendo como inspiração as Crônicas  de Holinshed, e o poema de Edmund Spenser - A Rainha das Fadas (Livro II, Canto 10), onde já aparece o nome de Cordélia. E o enredo secundário, do velho Glócester, que desenvolve o mesmo tema, da ingratidão dos filhos, Shakesperare serviu-se do romance pastoral de Sidney Arcádia (1590).'

Pai de três filhas, rei Lear já de idade avançada se vê, em uma situação que nenhum monarca gostaria de fazê-lo: passar o trono. No caso dele esta situação é  muito pior, já que não tem nenhum herdeiro homem.  

As filhas mais velhas, Goneril e Regan, usam de falsidade para seduzir o pai e conseguir a herança. Cordélia a mais nova de coração sincero e de palavras claras, não agrada seu pai com seus argumentos e é deserdada. O reino fica então dividido entre Goneril, casada com o Duque de Albany e  Regan, casada com o Duque da Cornualha.
Quando Cordélia foi banida, o Duque Kent a defende e também é banido do reino pelo próprio rei Lear. Porém Kent, no decorrer da trama , se disfarça e volta a servir o rei.
Havia dois pretendentes para Cordélia, mas ao descobrir que não  haveria mais dote o Duque de Borgonha desiste de casar com ela.  Já o Rei da França impressionado com as atitudes de Cordélia, aceita sua condição e casa-se com ela.

Rei Lear agora fica aos cuidados de suas filhas, mas não por muito tempo. Elas começam a demonstrar o que realmente sentem pelo pai, e o expulsam de casa. Assim o rei agora só tem a companhia de seu Bobo, que faz de tudo para alegrar o seu senhor, e da companhia de Caio, que na verdade é o Duque Kent disfarçado.

No meio de toda esta trama, há outra não menos impressionante, a do Conde de  Glócester, traído e enganado pelo  seu filho bastardo Edmundo. Mente para o pai dizendo que seu filho legítimo, Edgar, está planejando assassiná-lo. Edmundo manda arrancar os olhos do pai e o expulsa de casa.

Cego e arrependido, Glócester, encontra Edgar, que não revela ser seu filho. Rei Lear também encontra sua filha Cordélia, com ajuda de Kent, e se mostra arrependido e recuperando sua lucidez  pede perdão à filha. E numa demonstração de grande amor ela diz que não guarda rancor do pai.

Edmund torna-se chefe do exército inglês e ao vencer os franceses, captura o rei Lear e sua filha Cordélia, condenando-os a morte. Já as duas filhas de Lear, desejam casar-se com Edmundo. Este porém escolhe Regan que está viúva. Tomada de ciúmes  e inveja, Goneril, envenena a irmã. Quando ela percebe que seu marido descobre suas intenções com Edmundo, Goneril se suicida.

Kent consegue alertar o Duque de Albany sobre os planos e a farsa de Edmundo.  
Numa luta de espadas Edgar mata Edmundo. E antes de morrer, Edmundo confessa a trama contra o irmão e o avisa da sentença feita contra o rei Lear e Cordélia. Glócester também vem a morrer, mas antes disso Edgar revela sua verdadeira identidade.

Sem força e delirando, rei Lear, tem nos braços sua filha morta, da qual foi condenada a forca, e em seguida a morte o leva. E neste cenário de fim  trágico, o filho de Glócester, Edgar, assume o trono.

Embora escrita a tanto tempo, esta história se faz muito atual em muitas famílias, em que o dinheiro (herança), poder, leva muitos de seus membros a destruir, mentir, para possuir os bens materiais, se esquecendo do verdadeiro bem que é o amor à família.
E não é só de ambição que esta obra nos fala, mas também de lealdade, amizade, amor sem interesse. E o mais importante de perdão e de não nos deixarmos cair por falsas ilusões.




2 comentários:

  1. Ual tu foi corajosa na escolha!
    Ler Shakespeare não é para os fracos
    amei a página
    bjins
    Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk, tomei um pouco de coragem e bora ler Shakespeare!!!
      Obrigada pelo carinho de sempre! Bjs.

      Excluir