terça-feira, 31 de maio de 2016

Mansfield Park


'Heroínas de Jane Austen'



Quando iniciei a leitura de Mansfield Park fiquei curiosa!

O que Jane Austen iria propor ao leitor, oferecendo uma protagonista fraca, enfadonha, sem opinião e sem graça?

Austen se supera mais uma vez. Fanny Prince, a personagem principal vai além das primeiras impressões. Ela é, a primeira vista, tudo que descrevi acima. No decorrer da história há grandes mudanças e, com maestria, a autora nos mostra não só as famosas críticas à sociedade, mas os profundos sentimentos humanos que todos nós carregamos.


Esta obra poderia se chamar 'Máscaras' ou quem sabe 'As aparências'. Todos os personagens do mais insignificante ao principal, carrega as máscaras que a sociedade os impõe e aqueles sentimentos guardados no coração.

Fanny é apática, a falsa submissa, mas na verdade é manipuladora. Como se diz nos dias de hoje 'vai pelas beiradas' para ficar com a 'cereja do bolo'. Carrega suas fraquezas e qualidades bem lado a lado, heroína e vítima, prestativa e dissimulada, grata e ressentida, silenciosa e de uma certa malícia , observadora e calculista ...Você a ama e a odeia.


Há uma passagem em que será realizado uma peça de teatro, chamada "Promessas de Amantes", apresentada em Mansfield, por alguns membros da casa e seus amigos. Os sentimentos mais secretos vão surgindo, a máscara da dissimulação é colocada por todos, sem exceção. Mas a peça não se realiza e as máscaras vão caindo, uma a uma. É um jogo de aparências, o grande  teatro já começou.

Além disso, todos os demais personagens também nos tiram do sério e nos divertem, alguns são mimados, tolos, interesseiros, manipuladores, generosos e por aí vai, mas hoje não irei falar propriamente de cada personagem. E sim de algo que me intrigou!

Foi quando li o parecer de Vladimir Nabokov : "Mansfield Park é um conto de fadas, se bem que todos os romances são, de certo modo, contos de fadas, (...) O charme de Mansfield Park só pode ser desfrutado de forma plena quando adotamos suas convenções, suas regras, seu encantador faz de conta."                                                                 L&PM Editores


Fiquei refletindo por dias, como assim um conto de fadas?!
Comecei a anotar algumas situações que cada personagem passava e, principalmente, nossa protagonista. Bingo! Realmente Mansfield Park é um lindo conto de fadas.

Há vários contos em que a mocinha cairia como uma luva na Personagem principal de Mansfield Park - Fanny Prince - Mas escolhi a que me veio na lembrança primeiro: 'Cinderela'. E lá fui eu ler esta famosa obra, e pegar algumas situações que se assemelham com o livro de Jane Austen.


E também li alguns trechos do livro de Vladimir I. Propp, Morfologia do Conto Maravilhoso, para me situar e buscar referências.

Farei um resumo para que este post não fique cansativo.

Tanto em Cinderela e MP a personagem principal é ao mesmo tempo heroína e vítima, passa por grandes privações; é obrigada a se submeter a ordens de terceiros, sofre desprezo e escárnio, perde alguém muito próximo, tem ajuda de uma fada madrinha, ou seja, de alguém; começa uma mudança na aparência, linguagem simbólicatemos também o anti herói, que se passa por bonzinho, o príncipe ou aquele rapaz bom caráter.

Perseguições, disputas, carências, separação das pessoas queridas, castigos, fim da pobreza, o malfeitor é desmascarado, o herói disfarçado, casamento no final da história. Há muitos pontos importantes, citei somente alguns para percebermos as semelhanças.



O marco é o baile nas duas obrastanto Cinderela quanto Fanny não tem a pretensão de ser o centro das atenções, mas acontece o contrário,  se destacam  e despertam sentimentos fortes, é o rito de passagem, no caso delas de 'gata borralheira para uma bela moça'. 
E também não poderíamos esquecer o final feliz.
                                                                                                                                                                                 By Nice Sestari

Visite também as Heroínas Patricia , Ale Dossena ,Marcia e Leila

Em breve Emma. 

Boa leitura !

Veja também: Orgulho e Preconceito  A Abadia de Northanger Razão e Sensibilidade



4 comentários:

  1. Sensacional essa resenha amiga! Gostei do comparativo entre MP e Cinderela!! Realmente tem tudo a ver. Eu gostei do livro, embora muitas opiniões sejam contrárias. Talvez porque tenha visto o filme também e gostado. Achei que apesar de apática, Fanny explode de sentimentos em seu interior. Gostei do contexto e demais personagens, cada um como você disse, tentando colocar sua máscara para seguir os padrões impostos. Um retrato fiel da sociedade, seja ela antiga ou contemporânea né? Agora tô curiosa para ler suas opiniões sobre Emma...hahaha! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale, obrigada pelo carinho de sempre!!!!Jane Austen sempre nos surpreende não é mesmo! E o mais interessante que foi qdo li sobre a opinião de Vladimir Nabokov,que percebi a relação das duas histórias. Pesquisando sobre Nabokov fiquei sabendo que ele não admirava obras de escritoras, aliás nem gostava de Austen.
      Austen nos leva para boas leituras além de suas obras e pesquisas, bjs!

      Excluir
  2. Apesar de longo e com trechos mais arrastados eu adorei a leitura. A Fanny é muito Cinderela, com certeza! Sofre horrores, coitada! Não achei que fosse uma falsa submissa ou manipuladora. Acho que ela se manteve sempre bem fiel aos seus valores morais e aos poucos adquire auto confiança para dar voz aos seus anseios.
    Ótima leitura!
    Bjs,

    ResponderExcluir
  3. Oi Patricia! Alegria sua visita aqui no blog.
    O mais interessante de tudo, é que cada uma nós vemos de uma forma esta tão intrigante Fanny. Obrigada por mais esta maneira de olhar a obra de nossa querida Jane Austen.Bjs!

    ResponderExcluir