domingo, 9 de julho de 2017

Blogagem Coletiva - #52SemanasdeGratidão - 27/52

Nesta semana, queremos agradecer os sorrisos! Aqueles que por mais singelos que sejam, tornam o nosso dia mais feliz!



Tem gente que sorri mostrando os dentes; outros que sorriem de orelha a orelha; tem até aqueles que sorriem com os olhos... São muitas as formas de sorrir! Mas é o sentimento que vem do coração que conta.

Um sorriso pode mudar o dia de alguém. Às vezes pensamos que somente os grandes feitos é que transformam vidas, mas, na verdade, os pequenos contam muito mais. É aquilo que vem do coração, que é feito com alma...

E você? Já sorriu para alguém hoje?!

terça-feira, 4 de julho de 2017

Maratona de Leitura!

Olá caros viajantes literários!

No mês de julho, nem sempre dá para fazer uma viagem longa. Porém, aproveitamos para pequenos passeios como, ir ao cinema, teatro, museus,  visitar os amigos, familiares, passeios em cidades próximas. Ou ficamos em casa colocando a vida em dia. Pensando nisso:

Convidamos vocês para nossa Primeira Maratona de Férias, aqui no Projeto 'Tem Que Ler Mesmo?'

Esta maratona é bem simples, apenas serve para incentivar a leitura; convide seus amigos para ler com você. Ou quem sabe leia junto ou para uma criança. Caso tiver um tempinho que tal visitar um doente, um idoso e ler para ele?!

Veja abaixo o banner, qualquer dúvida é só deixar seu recadinho. Não esqueça de colocar #MaratonaLiteráriaVaptVupt 

Carimbe seu passaporte e boa leitura!

Grupo do Projeto 'Tem Que Ler Mesmo?' no face: Veja aqui!


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Blogagem Coletiva - #52SemanasdeGratidão - 24-25-26/52

Olá pessoal!
Estamos atrasadas com nossa blogagem, mas sempre agradecendo por tudo e por todos!
Deixo aqui meu carinho e gratidão bem especial para Elaine Gasparetto e em breve irei visitar todas as meninas do projeto, já deixo aqui minhas desculpas pela falta que estou com vocês!
http://www.elainegaspareto.com

Talvez o agradecimento de hoje fique um tanto confuso, vou aqui devanear um pouco, para chegar onde quero. 
Há um conto de Machado de Assis chamado " Um Apólogo", debate de argumentos entre um novelo de linha e uma agulha. E pensando nisso me veio a mente esta semana a palavra 'linha'. Sim, linha em toda a sua manifestação.
Quem já não ouviu falar da linha do tempo, linha da vida, linha do trem, na linha do horizonte, uma linha imaginária, ou então a frase ' ande na linha', aí pensei na linha de costura.

Pronto cheguei onde quero. A linha de costura com suas cores, formatos, tamanhos e, junto com elas, as pessoas que executam trabalhos maravilhosos.

A bordadeira que, com tecido e um bastidor, escolhe o desenho e, com a suavidade das mãos, borda a mais bela figura com suas linhas. 

A costureira que ao escolher o modelo a costurar, junta uma peça aqui e ali, com a linha forma uma vestimenta maravilhosa.

E a crocheteira que com a linha e uma agulha faz grandes artes, tapetes, toalhinhas, mantas, cachecóis, sapatinhos e etc.
Para esses profissionais que, com delicadeza, nos enche os olhos de alegria, nossa

Por Nice Sestari


sábado, 1 de julho de 2017

Resenha "Depois de Auschwitz"


SINOPSE

"Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente, os dois foram mortos.

Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo – e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido."
http://universodoslivros.com.br/livros/depois-de-auschwitz/550/

O subtítulo desse livro sempre me deixou intrigada, porque está escrito assim: “O emocionante relato da irmã de Anne Frank que sobreviveu ao holocausto”. Para quem já leu “O Diário de Anne Frank” surge aquela pulguinha atrás da orelha: Ué, mas a Margot Frank morreu no mesmo ano da Anne e ela não tinha outra irmã! Mas depois de ler eu entendi e agora você também vai entender!

O livro é uma biografia, da Eva Schloss, e confesso que não sou fã de biografias, mas essa é excelente. Ela conta sua vida antes, durante e depois do holocausto. Com 15 anos ela foi mandada para o Campo de Concentração e, o que era uma vida feliz e com muitos amigos, foi sendo degradada. A separação da família também é algo muito forte e marcante na vida de Eva.

Mas confesso que o mais interessante, para mim, foi ela contar o depois do Campo. Meio redundante eu citar isso, visto que o título do livro é justamente esse. Mas é que, às vezes, alguém pode acabar se apegando mais aos fatos no campo, do que fora dele.

Bem, não li outros livros que falassem da vida depois de estar em um campo de concentração, mas achei que as coisas tinham ficado um pouco mais fáceis. O que claramente, não ficou. O preconceito ainda era muito forte na época e havia pouca receptividade.

Ah, deixe-me explicar sobre estar escrito que Eva era irmã da Anne Frank. O pai e o irmão de Eva morrem no campo e apenas ela e sua mãe sobrevivem. Eva e sua mãe já conheciam Otto Frank antes do campo. Bom, com o tempo a mãe de Eva se casa com Otto, e conforme os anos passaram e Otto falece, é Eva quem dá continuidade aos projetos relacionados à Anne Frank. O parentesco dela é, na verdade, com Otto, mas uma relação padrasto-enteada. Quando era criança, ela conheceu Anne Frank, mas não cultivaram um laço de amizade.

Super recomendo este livro! Ele nos faz pensar, inclusive, na maneira como vivemos hoje. Sabemos que no fundo, alguns conceitos ainda sobreviveram, infelizmente. E Eva trouxe uma mensagem de esperança àqueles que ela encontrou no meio do caminho, com suas palestras e cuidando do legado de Anne Frank.






“Anne Frank escreveu no final de seu diário, pouco antes de ser capturada, que ainda acreditava que as pessoas tinham bons corações, mas eu me pergunto o que ela pensaria se tivesse sobrevivido aos campos de concentração de Auschwitz e Bergen-Belsen. Minhas experiências revelaram que as pessoas têm uma capacidade única para crueldade, brutalidade e completa indiferença aos sentimentos humanos. É fácil afirmar que o bem e o mal existem dentro de cada um de nós, mas eu vi a realidade de perto, e isso me levou a uma vida de questionamentos sobre a alma humana.”

Por Ale Veras

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Top 5 - Romance -

Aos apaixonados de plantão!

Hoje 12 de junho 'Dia dos Namorados, deixamos o nosso Top 5, os queridinhos dos romances, leituras realizadas, que hora ou outra lembramos e que nos faz ter vontade de reler.

Porém, antes de falar desses romances, que tal um poema, da poetisa portuguesa Florbela Espanca!

A Tua Voz na Primavera

Manto de seda azul, o céu reflete 
Quanta alegria na minha alma vai! 
Tenho os meus lábios úmidos: tomai 
A flor e o mel que a vida nos promete! 

Sinfonia de luz meu corpo não repete 
O ritmo e a cor dum mesmo beijo… olhai! 
Iguala o sol que sempre às ondas cai, 
Sem que a visão dos poentes se complete! 

Meus pequeninos seios cor-de-rosa, 
Se os roça ou prende a tua mão nervosa, 
Têm a firmeza elástica dos gamos… 

Para os teus beijos, sensual, flori! 
E amendoeira em flor, só ofereço os ramos, 
Só me exalto e sou linda para ti! 


Agora sim! Vamos ao Top 5 - Romances -

05 - A Maior Paixão do Mundo de Myriam Cyr
A História da Freira Mariana Alcoforado e Suas Cartas de Amor Proibido .
" Um livro chamado "Cartas Portuguesas" (1669), redigido em francês e de autor anônimo, circulava na corte parisiense causando furor. Com conteúdo polêmico, ardente e subversivo à época, falava sobre uma paixão não correspondida e arrebatadora, e continha vocabulário sofisticado e verossímil." 
Resenha  Aqui

04- Pássaros Feridos de Colleen McCullough
"Trata-se de um romance denso, épico, pungente e literariamente bem estruturado. Seus personagens, sofridos e marcantes.
Resenha em breve

03- Jane Eyre de Charlotte Brontë

“Nós abrimos Jane Eyre e somos envolvidos pela genialidade, veemência e indignação de Charlotte Brontë. É o intenso brilho vermelho do fogo do coração que ilumina suas páginas.”
Virginia Woolf
Jane Eyre narra, além de uma comovente história de amor, a saga de uma jovem em busca de uma vida mais rica do que a sociedade inglesa do século XIX tradicionalmente permitia às mulheres.
Resenha Aqui e Aqui


02- Em Algum Lugar do Passado  de Richard Matheson
'Romantismo, suspense, amor verdadeiro. Matheson reúne esses elementos de forma encantadora.'
Publishers Weekly

"Richard Collier é um jovem teatrólogo do século XX que se apaixona obsessivamente por uma fotografia de Elise McKenna, atriz de sucesso que viveu no século XIX, em Chicago. Richard fica tão encantado com a imagem de Elise que decide fazer uma pesquisa sobre a vida da artista, e descobre que eles têm muitas afinidades. Numa tentativa de se desligar do presente para viver essa paixão intensa, ele se submete a uma auto-hipnose que o transporta no tempo. Mas há um elemento-surpresa na regressão ao passado: Richard tem de enfrentar o empresário ciumento da atriz, William Fawcett. Um clássico romance cultuado por várias gerações."
Saiba mais sobre o autor Aqui

01 -Orgulho e Preconceito  de Jane Austen
"Este romance pode ser considerado como especial porque transcende o preconceito causado pelas falsas primeiras impressões e adentra no psicológico, mostrando como o auto-conhecimento pode interferir nos julgamentos errôneos feitos a outras pessoas.
Jane Austen faz três referências importantes: a autora declara que o foco da trama será os relacionamentos e os casamentos, dá um tom de humor á obra ao falar de maneira inteligente acerca de um tema comum, e prepara o leitor para uma caçada de um marido em busca da esposa ideal e de uma mulher perseguindo pretendentes."
Resenha Aqui

Agora nos diga, qual seu romance preferido?

FELIZ DIA DOS NAMORADOS

domingo, 11 de junho de 2017

Blogagem Coletiva - #52SemanasdeGratidão - 23/52

Olá pessoal!!

São tantos motivos para agradecer que a gente nem sabe por onde começa! Portanto, hoje, agradeceremos a SAÚDE, o FRIOZINHO!

Imagem: Google
Com o tempo seco e a poluição, é comum que as "ites" apareçam, rinite, sinusite... por isso, é importante nos mantermos hidratados e se alimentar bem. Também é a época das gripes; vamos ficar atentos aos locais fechados, tipo dentro de ônibus. Aliás, fica meu desabafo: genteeee, pelo amor de Deus, vamos deixar as janelas do ônibus abertas!! Sei que é frio, mas é melhor passar um friozinho do quê ficar doente!! #prontofalei

Alguns cuidados ajudam a gente a melhorar a saúde! Essa época também é boa pra tomar um caldinho, sopa e, como sou fã, de feijoada!!! Ahhh o friozinho é bom!!! Os chás também nos ajudam muito e podem nos beneficiar em diversos aspectos. 

Aproveito para deixar um propósito para vocês: que tal doar algumas roupas neste inverno? Às vezes temos aquelas roupas que não usamos mais ou que já não serve, mas ainda estão boas para o uso. Procure algum lugar próximo à você que aceita essas doações. Tenho certeza que faremos a alegria daqueles que mais precisam!

Por Ale Veras

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Resenha "Transfiguração: Um programa de santificação cristificante"

Imagem: Google

Antes de começar a resenha mesmo, vale a pena falar rapidamente sobre o autor. O Frei Inácio era dos capuchinhos e fundou a Oficina de Oração e Vida. Além de ter vários livros publicados sobre diversos temas, como Maria e Jesus.

Não disse que ia ser breve?! kkkkkkkkk

“Transfiguração: um programa de santificação cristificante” foi um livrinho (porque ele é bem fininho mesmo, tem 131 páginas) que, confesso, demorei um bom tempo para ler. Não porque não seja bom, mas por ser muito bom faz a gente refletir muito. É o tipo de leitura que nos faz pensar em várias coisas, em como está nossa relação com Cristo, com o próximo e conosco mesmo.

Ele é dividido em 3 capítulos, sendo eles:

1- “Somente se sabe o que se vive”

2- “Vazios de si”

3- “O sonho de ouro”

Ah, é legal falar que no comecinho do livro, Frei Inácio, explica que este livro era para os dirigentes das Oficinas de Oração. Mas, com o tempo, algumas pessoas começaram a falar que queriam poder ler também, e ele adaptou o texto para que todos pudessem ter uma leitura bem proveitosa.

Ele é um livrinho que possui muitas coisas práticas, no sentido de espiritualidade, por isso disse que ele é bem para reflexão.

Por exemplo, no primeiro capítulo ele trabalha alguns temas relacionados a paciência, a assumirmos o estilo de Jesus. No segundo, encontramos a humildade, liberdade. E no terceiro, o amor, o perdão, o respeito. Mas são pontos bem práticos, que nos ajudam a melhorar e ter uma vida de oração mais profunda.

Abaixo, alguns trechos que me chamaram a atenção:

“É sobretudo em sua intimidade onde se dá a principal luta libertadora: retifique incessantemente as intenções, que Deus seja a única causa móvel de seus afazeres.

Não saboreie, ruminando, as lembranças de elogios ou atuações felizes. Em vez de saboreá-los, remeta a Deus a glória de suas realizações.” (p. 78)


“Aceitar Jesus significa que sua presença nos incomoda, questiona e desafia quando em nossa intimidade surgem sentimentos que não estão de acordo com o espírito de Jesus, ou seja, sentimentos como discórdia, aversão, antipatia, sentimentos enfim que erguem muros de separação e dividem os irmãos.” (p. 103)


“Toda pessoa é mistério, isto é, um mundo e uma experiência que nunca se repetirão; [...] O outro, como mistério que é, é um mundo sagrado; e como sagrado, merece respeito. [...] a atitude elementar diante do desconhecido é, quando menos, a do silêncio, porque no fundo não sabemos nada do outro.” (p. 109)


Por Ale Veras