terça-feira, 2 de junho de 2015

Autor com sua inicial - Projeto Leitura Mágica 2015

O pobre de Deus - Nikos Kazantzakis

Click na figura para aumentar





Olá pessoal, caso esteja procurando uma literatura forte, comovente, rica de detalhes, reflexiva e contagiante, chegou a hora de ler este livro, ‘O pobre de Deus’ - (1953) de Nikos Kazantzakis (ateu). 



Um detalhe que me chamou atenção! Somos convidados pelo irmão Leão, para conhecermos a história de São Francisco de Assis. Conforme a narrativa acontece nos identificamos com esse mendigo, caminhamos talvez para um abismo de dúvidas, mistério e ao mesmo tempo de profunda compaixão e alegria. 

Uma narrativa rica de detalhes, reflexiva que nos faz rever nosso olhar diante do mundo, não é um livro religioso, mas  deve ser compartilhado e vivido. 

É um livro que nos fala de um homem, que sofre, chora, em busca de  Deus, que deseja encontrar seu caminho. Repleto de palavras doces, experiências vividas por homens e mulheres de carne e osso, com suas dores, dúvidas e desejos. 

O companheiro inseparável de São Francisco, irmão Leão, posso até dizer que muitas vezes achei que eu era (um leãozinho)... Ele nos pega pela mão, nos leva a passear, cantar, dançar, rir, chorar, aprender, porém com um detalhe, o caminho é sem volta. Sim! Uma experiência singular. 
Meus caros amigos, uma aventura interior, como se este personagem estivesse em você e você nele. 

Neste momento questionaríamos, mas  o livro não é sobre São Francisco? Sim, isso mesmo! Francisco tomado por Deus, muitas vezes nem percebe todo o sofrimento do irmão Leão, o aluno encantado pelo Mestre, sofre tudo por este amor. Francisco o mestre, Leão o aluno, Deus a lição a aprender e o leitor inebriado, pelo amor, amizade, sofrimento e lealdade. 

Ah! Irmão Leão... 

                                     Meu Amado Francisco... 

                                                                                          Clara minha doce Clara! 



“_ Irmão Leão – falou com voz resoluta _ , não tínhamos dito que formávamos os dois exércitos e que partíamos para libertar o Santo Sepulcro? Não sorrias. Tem fé! Para começar, faremos as coisas mais insignificantes, e aos poucos passaremos às importantes. E quando estas estiverem feitas, empreenderemos as impossíveis. Compreendes o que digo?...” pg. 51 

“Amor, Amor, filho querido de Deus, ergo as mãos para ti e suplico-te que me atendas: dilata os nossos corações de modo que possas amar todos os seres humanos, bons e maus; todos os animais, domésticos e selvagens; todas as árvores, fecundas e estéreis; todas as pedras, dos rios dos mares. Pois somos todos irmãos e seguimos o mesmo caminho, a estrada de regresso à casa de nosso Pai”.Pg. 169 

“_ Meus irmãos _ recomeçou _, a vida na terra é um sonho ilusório. A vida verdadeira, a eterna, espera-nos lá em cima no céu. Não fiquem de olhos abaixados para a terra, meus filhos! Pelo contrário, levantem-nos bem alto, abram a gaiola onde as almas lutam e sangram, e voem!” pg. 238 

“E és tu, Pai Francisco, que, para me ver, tomaste a aparência de um pardal...” pg 333 

Recomendo!      Paz e Bem!

4 comentários:

  1. Amo São Francisco de Assis!!!
    vou me aventurar a ler esse qualquer hora dessas
    bjins
    Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leila você vai se apaixonar por este livro! Paz e Bem!

      Excluir
  2. Muito boa sua resenha Nice! Fiquei curiosa para ler o livro!

    ResponderExcluir