terça-feira, 2 de junho de 2015

Livro com mais de 400 páginas - Projeto Leitura Mágica 2015

Juvenília - Jane Austen e Charlotte Bronte
click para aumentar a figura





À primeira vista, Jane Austen e Charlotte Bronte parecem radicalmente opostas. Enquanto Austen representa a elegância e a proporção neoclássica, parodiando excessos literários e criticando as fraquezas humanas, Bronte imprime em sua escrita toda a paixão e a extravagância do espírito romântico. 

Numa época em que a literatura popular era considerada perigosa para a mente sugestionável das jovens, a erudição precoce, a originalidade e a liberdade de espírito aproximaram as duas autoras. E a consequência disso é uma produção bastante fértil na juventude de ambas, reunida neste volume. 
Para Jane Austen e Charlotte Bronte, a juvenília representou uma possibilidade de experimentação e desenvolvimento da complexidade de seus personagens. Através da leitura desses textos, podemos acompanhar a evolução de duas grandes escritoras da língua inglesa, que levaria a suas obras-primas: Orgulho e Preconceito e Jane Eyre. 

                                                                       ***

A pergunta que não quer calar. O que é Juvenília? Pois bem caros amigos também me fiz esta pergunta. E fui pesquisar no dicionário: substantivo feminino - As obras da mocidade de um autor. Logo, este livro tem preciosidades da juventude destas grandes escritoras inglesas. 

Tenho mais intimidade com as obras de Jane Austen, mas, posso garantir que Charlotte Bronte é tão boa quanto, sabe quando é igual, porém diferente. Elas são assim. 

“... Jane Austen é a personificação da elegância e da proporção neoclássica; Charlotte Bronte, por outro lado, representa toda a paixão e a extravagância do espírito romântico: nas características mais óbvias, essas duas autoras parecem ser radicalmente opostas”. 

“... a similaridade mais forte entre as duas tenha sido a produção e a preservação de fartos escritos de juventude”. 

“A obra de juventude de ambas, vista como um todo, pode ser encarada como algo que revela um processo de seleção: alguns experimentos são testados e desenvolvidos e ressurgirão em romances escritos mais tarde”. 

A Juvenília de Austen foi composta aproximadamente entre 1787-1793, quando a autora tinha entre 12 a 18 anos. Ela própria selecionou e dividiu sua obra em três volumes. São histórias inacabadas e curtas, dedicadas sempre aos familiares e alguns amigos. Menos crítica talvez por ainda ser jovem, com ambientes familiares aos seus romances publicados, bailes, chás, situações do cotidiano, etc. 

“... creio que meus modos e minha maneira de falar são muito refinados; há certa elegância, uma peculiar doçura neles que jamais vi em outros e que não posso descrever...”. Pg. 67 

“Minhas queridas meninas, agora chegou o momento em que vou colher as recompensas de todas as preocupações que tive e esforços que fiz durante sua educação”. Pg 151 

“Sua imaginação era fértil e, nas amizades, assim como em toda sua personalidade, ela demonstrava entusiasmo”. Pg.161 


A juvenília de Charlotte Bronte foi escrita ao longo de 10 anos, 1829-1839. A imaginação de Charlotte é muito fértil e repleto de magia.Junto com seu irmão Branwell, criaram o reino de Angria, inspirado em As mil e uma noites. Dividido em 4 volumes, com vários personagens em um mesmo universo, gênios, mitologia, magia, viagens marítimas, rebeliões e com um elaborado conjunto de personagens. Ela dá uma seqüência a história, que nos prende, alguns personagens crescem e Charlotte cria uma heroína perfeita. 

“Ali, envolto por nuvens, estava um enorme e terrível gigante. Na mão direita, ele tinha um clarim; na esquerda, dois dardos com pontas de fogo. Sobre uma nuvem carregada que deslizava diante dele estava seu escudo. Em sua testa escrito: “Gênio da Tormenta”.” 
Pg 220 

“Bem, megera, creio que pensou que eu havia esquecido a maneira insolente como se comportou comigo... Ajoelhe-se aos meus pés nesse instante e peça perdão com humildade e submissão por todas as ofensas passadas, ou...” 

“O coração do rei bateu e pulsou até que seu movimento pudesse ser visto no arfar de um peito esplêndido... com a corrente de seu sangue subindo até as faces e com a testa enevoada por pensamentos solenes, terríveis e desesperados.”   Pg 336 

Este não é um livro de leitura rápida, porém é uma leitura mais para estudo e muito agradável. 

Observação: Antes de ler este livro, recomendo que leia algumas das obras destas autoras.

Leia também:  Resenhas Heroínas de Jane Austen

8 comentários:

  1. Muito curiosa para ler, Nice.
    Ainda não tenho na minha coleção.
    Só pelo fato de escrever desde os 12 , Austen merece ser lida e reverenciada.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Patricia Dias, Austen desde sempre a melhor!!!! Você vai amar o livro tenho certeza.

      Excluir
  2. Vixe, tá aí um livro que nunca tinha ouvido falar, hehehehe
    bjins
    Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leila, se aventure você vai gostar!!!! Sempre carinhosa, obrigada!

      Excluir
  3. Aprendi muito com esse post Nice! Obrigada! Embora os clássicos românticos não sejam muito meu tipo de leitura (prefiro os menos românticos) é sempre bom saber os fundamentos da nossa leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá minha querida! Realmente saber como começa o processo do autor é muito interessante. Vale apena ler!!! Obrigada pelo carinho.

      Excluir
  4. Com certeza lerei depois de ler as obras delas!!!

    ResponderExcluir
  5. Desde sempre Ale, Jane Austen e Charlotte Bronte são as 'Divas' da Literatura!!!!

    ResponderExcluir