sábado, 28 de novembro de 2015

Suspense Romântico - Projeto Leitura Mágica 2015 - Novembro



Uma Dama de Aluguel - Amanda Quick



Sinopse:
Arthur, conde de St. Merryn precisa contratar uma mulher. A jovem terá que simular ser sua noiva durante algumas semanas nos círculos da alta sociedade, pois ele tem assuntos que resolver e sua companhia evitará o habitual assédio das casamenteiras. Encontrar a candidata torna-se mais difícil do que ele pensava até que finalmente conhece Elenora Lodge. O aspecto simplório da moça não oculta sua beleza nem o fogo dos seus olhos. Dadas suas circunstâncias pessoais, Elenora aceita a generosa oferta do conde.

Entretanto, alguma coisa não vai bem na tenebrosa mansão de Arthur, e Elenora está convencida de que ele esconde um segredo...

Comentário da Revisora Inicial Catharina: Sempre gostei dos livros da Amanda Quick, mas dessa vez ela se superou! Adorei como a maneira confiante da mocinha vai quebrando aos poucos a seriedade excessiva do mocinho. Leitura imperdível pra quem gosta de histórias com um toque de aventura e de mistério.

*****


Esta leitura foi muito gostosa, não conhecia a escritora Amanda Quick, me surpreendi com a maneira que ela conduziu a história.
Os personagens principais são envolventes, de muita personalidade e repletos de mistérios.

Arthur Lancaster, conde de St. Merryn , esconde algo, sua personalidade mexe com toda a alta sociedade até seus amigos ficam intrigados.Rico, arrogante e solteiro.
'Como tudo o que disse naquela noite, aquele comentário entrou a fazer parte da lenda de St. Merryn... “É tão frio que quando lhe informaram que sua noiva tinha fugido com outro homem, a única coisa que fez foi comentar que fazia muito mau tempo”.'

Sua opinião incomoda e assusta as pessoas que convivem com Arthur.
'Penso que as qualidades esperadas em uma esposa não são muito distintas das que seriam exigidas a uma dama de companhia.'
'A diferença das jovens românticas e com recursos cuja visão do amor está deformada por causa de Byron e das novelas da editora Minerva, as damas de companhia, por uma questão de necessidade, têm que ser muito mais práticas. A vida lhes ensinou que o mundo pode ser muito duro.'

Já Elenora Lodge, com a morte de seu padrasto se viu obrigada 'a entregar todas suas posses por culpa de um desafortunado investimento.'
Se desfez de tudo, menos do baú que pertenceu a sua avó, ali guardava segredos e algumas joias.
' “O que está feito, está feito”, pensou Elenora. Agora tinha que concentrar-se no seu futuro. Seu destino tinha dado um giro inesperado, mas, felizmente, não se encontrava sozinha no mundo: estava noiva de um elegante cavalheiro. Estava convencida que Jeremy Clyde correria a seu lado quando soubesse do terrível apuro no qual se encontrava, e, sem dúvida, insistiria em adiantar a data das bodas.'
Jeremy Clyde irá surpreender sua amada noiva Elenora, será que também ele guarda algum segredo?!

Um pedido de noivado nada convencional, ressentimentos, obrigações, família, roubo, assassinato, bailes, alquimia, o misterioso "Livro das pedras" e personagens secundários que dão mais suspense a história. 

'Quando terminasse de construir o mortífero aparelho e demonstrasse seu imenso poder destrutivo, toda a Inglaterra, ou melhor, toda a Europa, veria-se obrigada a reconhecer nele um segundo Newton.'
'— Exato — respondeu Arthur —. Em concreto, este tratado tinha sido escrito pelo alquimista em pessoa. O livro estava encadernado em couro e tinha três pedras preciosas vermelhas incrustadas na capa. No interior se achava a fórmula e as instruções para a construção de um aparelho denominado “Raio de Júpiter”. O texto estava escrito em um complicado código alquímico.'

E como toda história de suspense não poderia faltar... alguém se habilita a me dizer? Se você disse o mordomo, acertou! Será que ele esconde algum mistério ou descobre algo assustador?
(...)'virou-se e deu de cara com o homem mais bonito que jamais tivesse visto. Desde sua alta e nobre testa a suas facções delicadas, passando por olhos ardentes e esse cabelo encaracolado, que lhe conferia um ar de inocência, tudo nele constituía a imagem da perfeição masculina.
Se não fosse porque vestia uniforme de mordomo, poderia ter posado para qualquer artista que quisesse pintar a imagem de um poeta romântico ao estilo de Byron.'

Elenora percebe que o conde de St. Merryn, esconde algo, mas o que seria, para ele fazer tal pedido à ela! Será que esta jovem está correndo  algum tipo risco?
'Era consciente de que Elenora suspeitava que ele escondia algo, e estava certa. Entretanto, ele considerava que era melhor que não soubesse toda a verdade.'
“Te vingarei — prometeu Arthur em voz baixa —. Juro que o assassino pagará pelo seu crime”.
'— Eu não acredito que tenha sido assassinado por um ladrão comum a quem surpreendeu roubando em seu domicílio — explicou Arthur sinceramente —. Estou convencido de que o matou alguém que está relacionado com os velhos tempos em que os cavalheiros da Sociedade das Pedras frequentavam suas reuniões das quartas-feiras.'
'— Por desgraça, não — admitiu Elenora —. Dançamos em uma festa de disfarces e não cheguei a lhe ver o rosto. Mas sua túnica estava rasgada e achamos que esse rasgão se produziu durante a briga que manteve com o mordomo.'

E no meio de descobrir misteriosas mortes, um romance acaba surgindo.
'— Devo dizer que, quanto mais tempo levo representando meu papel — disse Elenora a Margaret discretamente —, maior é o respeito que sinto pela resistência e a integridade das jovens que são postas em circulação no mercado matrimonial. Não sei como o suportam.'

Ops! Já ia me esquecendo, como não falar o que Arthur pensou quando viu Elenora!
(...)'observou a forma decidida, mas graciosa, como se movia. Não havia nada tímido ou vacilante nela. Uma inteligência vivaz brilhava nos seus olhos exóticos e sua pessoa irradiava caráter e determinação.
Arthur tentou conservar a objetividade e chegou à conclusão de que aquela mulher carecia da perfeição suave e formal que teria feito com que os homens da alta sociedade a considerassem um diamante de primeira categoria. Mas havia algo nela que atraía o olhar: sua energia, sua vitalidade criavam um aura invisível. Com o traje adequado, não passaria inadvertida em um salão de baile.'

E a Senhorita Lodge o que pensou a respeito do conde de St. Merryn!
'Não era um homem bonito, pensou Elenora. A força, o autodomínio e a inteligência aguda refletidas nas suas facções não deixavam lugar para a elegância, o refinamento ou a beleza masculina tradicional.
Tinha o cabelo castanho escuro e seus olhos, de um verde cinzento, olhavam-na desde sua guarida, oculta no mais profundo de seu ser. Tinha o nariz aquilino, as maçãs do rosto altas e a mandíbula proeminente que alguém associaria com as criaturas que sobreviviam graças a seus instintos de caça.'

Quer saber qual o mistério que ronda esses personagens, leia o livro depois me conte, ok.
Boa leitura!






2 comentários:

  1. Parabens pela página. Fiquei curiosa com o livro, quero ler. bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose, obrigada pelo carinho. Leia depois me diga o que achou,ok!!!!

      Excluir