segunda-feira, 14 de março de 2016

Dia Nacional da Poesia 3


Cassiano Ricardo

Cruz de estrelas

Desde o primeiro sofrimento
viu o Brasil que carregava sobre os ombros
a cruz do descobrimento.

Os mata-paus, carrascos verdes,
amarraram-lhes as mãos na rede dos tentáculos.

E acompanhou-o pela via dolorosa
a procissão sem fim das montanhas silentes
levando estrelas como velas amarelas
em longos castiçais de palmeiras noturnas...

Não sei por que, naquele dia,
os papagaios gritavam tanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário