quarta-feira, 26 de agosto de 2020

A Comédia dos Erros

 Olá Viajantes!


"A comédia dos erros é tida pelos pesquisadores como a primeira peça de Shakespeare, com sua estréia nos palcos tendo ocorrido provavelmente em 1594. Os erros a que se refere o título são enganos provocados pelas pessoas que conversam alternadamente com um gêmeo e o outro, sendo um residente de Éfeso, onde se passa a ação, e o outro, estrangeiro. Os gêmeos são idênticos e têm ambos o mesmo nome: Antífolo. As confusões multiplicam-se, assim como a comicidade da trama, porque há mais um par de gêmeos idênticos em cena, os irmãos que atende pelo nome de Drômio.
Sinopse

Entretanto, A Comédia dos Erros não deve ser confundida com uma comédia leve. Muito ao gosto de Shakespeare, ainda que em sua estréia como dramaturgo, os diálogos introduzem considerações sobre a condição feminina e sobre a condição servil; há credores e devedores e a honra de cada um; discute-se o lugar do ciúme no casamento; existe uma autoridade política que procura administrar justiça com compaixão; mais importante ainda, há a moderna busca pela identidade própria."
                                                                                        (Trechos da introdução de Beatriz Viégas-Faria.)

Essa leitura faz parte do Projeto Shakespeare.

E que grande prazer em fazer esta leitura, muito divertida e que nos tira da zona de conforto, por ser uma peça teatral do gênero farsa comédia.

Antífolo de Siracusa - "...Sou no mundo como uma gota de água que à procura de outra gota no oceano se encontrasse, e que, ao cair ali, toda desejos de achar a companheira, desaparece na busca, sem ser vista. ..."

Descobrimos que Shakespeare escreveu esta peça baseada num clássico do comediógrafo romano Plauto, a peça é Os Menecmos ( Os Gêmeos). Lógico que Shakespeare coloca sua pitada especial, com elementos contemporâneos, e trabalha muito bem seu humor ácido e crítica.

"Drômio de Éfeso - Marcas vossas eu tenho na cabeça; nos ombros tenho marcas da patroa; mas, reunidas,..."

"Luciana - A liberdade indócil ´s domada pela própria desgraça, Não há nada sob a vista do céu que não se mova num limite restrito, assim na terra como no ar  e no mar. Todas as fêmeas dos animais, dos pássaros, dos peixes seguem ao macho e em tudo obedecem. O homem, ser mais divino, senhor deles, dono do mundo todo, do mar vasto, que a superioridade do intelecto pós acima dos pássaros e peixes, da esposa é dono e mestre. Assim, alegre, com ele em tudo concordar te cumpre."

Nas entrelinhas o autor deixa seu recado, recorrente da forma como a mulher é tratada, a servidão, sentimentos, mentiras, a elite da época e, o mais interessante, tudo com um divertimento ímpar.

"Duque: Isso completa a história começada nesta manhã. Estes irmãos Antífolos tão parecidos, e os dois gêmeos Drômios, que não diferenciam,..."

Recomendamos, leia Shakespeare!!!!! Sem medo!!!

Até breve! 

Próxima leitura será a comédia Trabalhos de Amor Perdidos.

domingo, 23 de agosto de 2020

Histórias para Ler sem Pressa

Olá Viajantes!

Nossa viagem foi junto com Mamede Mustafa Jarouche, que traduziu diretamente do árabe o livro "Histórias para ler sem pressa".



São contos curtos, mas de uma profunda lição de vida. Alguns nos deixou sem entender direito o que realmente queria passar, já que conhecemos muito pouco das tradições árabes. 

Outros nos cativaram e nos permitiram fazer uma profunda reflexão. Mesmo em mundos distantes, o ser humano não aprende, continuamos pobres de sentimentos e virtudes.

O ilustrador Andrés Sandoval caprichou nas ilustrações, tudo para enriquecer a leitura.

Super indicamos!

Boas leituras e até breve!

Nice Sestari

 

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Narcisa Amália de Campos

 


Por que sou forte
a Ezequiel Freire

Dirás que é falso. Não. É certo. Desço
Ao fundo d’alma toda vez que hesito...
Cada vez que uma lágrima ou que um grito
Trai-me a angústia - ao sentir que desfaleço...
E toda assombro, toda amor, confesso,
O limiar desse país bendito
Cruzo: - aguardam-me as festas do infinito!
O horror da vida, deslumbrada, esqueço!
É que há dentro vales, céus, alturas,
Que o olhar do mundo não macula, a terna
Lua, flores, queridas criaturas,
E soa em cada moita, em cada gruta,
A sinfonia da paixão eterna!...
- E eis-me de novo forte para a luta.


- Narcisa Amália (Resende, 7.9.1886), em "prefácio" ao livro "Flores do Campo" de Ezequiel Freire. Rio de Janeiro, 1874.

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

# 19 Presente Literário

 

Samuel Richardson
1689 - 1761

Conhecido como o primeiro romancista da Inglaterra. 

Aos 51 anos de idade, publicou "Pamela", seu primeiro romance, que cai nas graças do público e se torna um dos autores mais renomados da sua época.

Influenciou vários autores, entre eles Jane Austen e Frances Burney.

A Igreja Católica o colocou na lista negra, no Index Librorum Prohibitorum, sendo assim, nenhum católico estava autorizado a ler suas obras.

Suas Obras:

- Pamela - Recompensa da virtude - 1740 (Obra editada no Brasil)

- Clarissa - história de uma jovem senhora - 1741

- A história de Sir Charles Gradison - 1753


Index Librorum Prohibitorum Índice dos Livros Proibidos era uma lista de publicações consideradas heréticas, anticlericais ou lascivas e proibidas pela Igreja Católica. O  ILP só foi abolido pela Igreja Católica, em 1966, pelo Papa Paulo VI.