segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Inspiração !

Olá viajantes!

Hoje é dia de mostrar umas arteirices!

Trouxemos algumas delicadezas: cartão, marca-página e cartão postal, inspirados em Jane Austen!

Com papel color set, silhueta de Jane Austen e pequenas rosas, eis um singelo cartão! 

Na parte de dentro do cartão há um pequeno envelope e um mini cartão. Este marca-página foi feito com papel de scrap e color set preto, flores e folhas com uso do furador!

E, para finalizar, um lindo cartão postal e pequenos envelopes amarradinhos com fita, dentro deles palavras de carinho e amizade!

Um pouco de leveza para alegrar o dia!

Veja também nossos marca-páginas aqui!

Nice Sestari

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Os Románov #2

Olá Viajantes!

Vamos continuar nossa viagem com Os Románov, das páginas 155 à 272, do livro Os Románov, de Simon Sebag Montefiore.

Com muitos detalhes, o autor nos leva a conhecer Os Románov, de tal maneira que pensamos ser um livro de pura ficção!
Pedro, o Grande

Uma das grandes figuras deste livro é Pedro, o Grande:"Pedro já era extraordinário. Um tipo estranho mas fisicamente impressionante: embora a maioria de seus retratos dê a impressão de uma gigantesca solidez, ele era alto como uma aberração... tinha movimentos espasmódicos. Seu rosto se contorcia em tiques constantes, e ele já começava a sofrer ataques epiléticos... Embora aprendesse um pouco de alemão e gostasse de mitologia grega e história romana, ele nunca dominou idiomas, gramática ou filosofia."

Pedro foi um Imperador notável em questão de modernizar a Russia, com a tecnologia do Ocidente, porém passava dos limites em crueldade. Mandou construir 14 câmaras de tortura, gostava de desconstruir o corpo humano.

O czar manda decapitar sua amante, e dá uma aula de anatomia aos presentes, segurando a cabeça de sua amante pelos cabelos e a beija na boca como uma despedida. Depois, pede para embalsamá-la.

"A qualquer momento Pedro podia passar da brincadeira para a ameaça."

Pedro não dava atenção para sua primeira esposa, Eudóxia. Já por sua segunda esposa, Catarina, ele tinha um amor profundo. Apesar de conturbado, ela sabia como tê-lo em seus braços e sempre estava presente na hora certa, seja na guerra ou nos momentos mais complicados.

"A relação de Pedro e Catarina não se baseava apenas nos atrativos físicos dela e na sofrida relação com os filhos, mas também em sua irreprimível alegria e inabalável serenidade, que lhe permitiam tratar Pedro com habilidade."
Catarina I

Com a morte do seu esposo, Catarina se torna a imperatriz .

"Catarina prometeu governar com o espírito de Pedro. Nenhuma mulher jamais havia governado a Rússia ... estava entrando numa era dominada por mulheres no governo."

A imperatriz não era diferente de Pedro, adotou a libertinagem, bebia demasiadamente, vivenciou várias guerras, teve muitos amantes, a traição corria solto e tinha muitos inimigos.
Anna da Curlândia

Após a morte de Catarina I, Anna, a filha do Czar Ivan V, duquesa da Curlândia, se torna Imperatriz junto com seu amante, Biron. Ele "exercia autoridade total" sobre Anna.

Anna saiu aos seus, foi muito cruel, fazia arremesso de anões, organizava brigas entre velhas deficientes, reduzia os aristocratas a bobos da corte; ela só queria desfrutar suas aberrações e caçadas.

Logo em seguida foi a vez de Elizaveta, a filha de Pedro, o Grande com Catarina I, ganhar o trono. Ela tinha o sangue de Pedro e não poderia ser diferente sua maneira de reinar: Mandava arrancar línguas, muitos eram esquartejados ou decapitados, mandava triturar os ossos, organizava bailes de travestis, ela tinha a mesma crueldade do pai.
Elizaveta - Vênus Russa

Elizaveta faz com que o futuro czar Pedro, seu sobrinho, se case com Sophie, Catarina, a Grande. Ele detestava tudo e principalmente a Rússia. 

Corria na boca miúda que Elizaveta havia se casado as escondidas com seu amante Razumóvski.  Ela era considerada a Vênus Russa: " Ninguém que a visse pela primeira vez deixaria de se impressionar com sua beleza e porte majestoso... dançava com perfeição e tudo o que fazia mostrava uma graça específica."

Elizaveta era viciada em moda, sentia prazer em ser tirana, teve muitos amantes e foi ficando cada vez mais perigosa à medida que envelhecia.

Para o próximo capítulo, vamos conhecer Catarina, a Grande!

Saiba mais sobre Os Románov aqui e aqui!

Nice Sestari

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Os Románov #1

Olá Viajantes!

"Os Románov foram a mais bem-sucedida dinastia dos tempos modernos, governando um sexto da superfície da Terra. Como uma família transformou um principado arruinado pela guerra num dos maiores impérios do mundo? E como eles perderam tudo?"
Brasão da Dinastia Románov

Hoje vamos concluir a primeira etapa da nossa Leitura compartilhada dos Románov, que foi das páginas 19 à 153, do livro Os Románov, de Simon Sebag Montefiore.

Já de inicio a leitura cativa, a narrativa é fluida, porém são tantos personagens com nomes iguais e complicados que as vezes nos confundia.

O autor vai nos situando e com maestria nos apresenta não só Os Románov, mas outros personagens importantes para entendermos a história desta família ímpar.

A trajetória dos Románov é comparada com os Césares, no Império Romano, assim como a ascensão, o apogeu e o declínio. E, acredito que na crueldade também!

A história começa com Ivan, o Terrível, eternizado por sua violência. E já no prólogo o autor nos apresenta o primeiro e o que seria o último czar: Miguel e Alexei Románov!


"Dois adolescentes, ambos frágeis, inocentes e convalescentes, abrem e fecham a história da dinastia. Na condição de herdeiros de uma família política, os dois estavam destinados a governar a Rússia como autocratas e cresceram em tempos de revolução, guerra e massacres."
Alexei Nikolaevich Romanov
Para manter a sobrevivência, o imperador tinha que ter o apoio do Exército, da Nobreza e da Administração. O povo via o czar como um 'Pai' escolhido por Deus. A base desta sociedade era a servidão.

Neste ambiente hoje um general era o melhor amigo do Czar, amanhã este mesmo general era morto cruelmente por um pequeno deslize. A corrupção rolava solta, traições, jogos de interesse, mentiras, infidelidade, orgias e momentos bizarros.

Havia um exótico costume moscovita, o 'Desfile de noivas', em que o Imperador escolheria sua futura esposa. E já adianto, quando uma moça era escolhida,  sua vida e da sua família,  mudaria completamente. Usava-se de muita manipulação para colocar no trono aquela que poderia servir aos interesses de alguns nobres. Muitas até mesmo antes de oficializar o casamento eram envenenadas ou simplesmente sumiam do mapa.

"Os Románov habitam um mundo de rivalidades familiares, ambições imperiais fascínio sinistro, excessos sexuais, sadismo e depravações; é um mundo em  que desconhecidos obscuros de repente se afirmam monarcas mortos renascidos, noivas são envenenadas, pais torturam seus filhos até a morte, filhos matam pais, ... gigantes e aberrações são colecionados, anões são arremessados, cabeças decapitadas são beijadas, línguas são extraídas, a pele é arrancada a chibatadas do corpo, ânus são empalados, crianças são massacradas; há ainda imperatrizes ninfomaníacas ... lésbicas envolvidas em ménages à tróis ..."

Deixar aqui o nome de cada czar  tornaria essa leitura cansativa, porém vale destacar Pedro, o Grande e sua segunda esposa Catarina I, esses dois tem muita história para contar!

Porém ficará para nosso próximo encontro! Saiba mais sobre nossa Leitura coletiva aqui!

Até breve!
Nice Sestari

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Marca-página Jane Austen

Olá Viajantes!

Todo leitor ama um marca-página, não é mesmo? 

Hoje trago para vocês uma pequena coleção que fiz algum tempinho. 

O tema escolhido foi Jane Austen! 

Essa autora nos inspira sempre!❤


O material usado foi folha de Scrapbook, imagens retiradas da Net, fitas e papel rendado.
 Ficou um charme!


Pena que pela foto não dá para ver, mas tem relevo em todos eles.


Lógico que o Sr. Darcy não poderia faltar!


Este é o meu preferido!


E vocês gostam dessas pequenas fofuras?

Veja as obras de Jane Austen aqui e aqui !

by Nice Sestari

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Os Románov 1613-1918

Olá Caros Viajantes!

Venho convidá-los a participar da Leitura Coletiva, junto com o Blog Mais Uma Página - Michelly Santos. 

Só hoje obtive autorização para postar aqui, porém isso não nos impede de ler e participar.
Venha conosco conhecer um pouco sobre 'Os Románov'! Abaixo deixo a proposta da Michelly.

E caso fique na dúvida passe lá no Blog Mais Uma Página e veja o vídeo, explicando tudinho!

"Leitura da obra Os Románov, escrita pelo jornalista e historiador britânico, Simon Sebag Montefiore. O livro narra a longa trajetória da dinastia Románov na Rússia, desde sua ascensão  ao poder, em 1613, até 1918, depois que foram dizimados durante a Revolução Russa.
Início: 1º de setembro de 2019
Final:   16 de outubro de 2019
 11/09
  • Introdução
  • Fontes e agradecimentos
  • Nota
  • Ato 1  
* Da pág. 19 até a pág. 153       Nossas impressões
 18/09
  • Ato 2: O Apogeu
  • Ato 2: cenas 1, 2 e 3
* Da pág. 155 até a pág. 272    Nossas impressões
 25/09
  • Ato 2: cenas 4, 5 e 6
* Da pág. 273 até a pág. 429    Nossas impressões
 02/10
  • Ato 3: O Declínio
  • Ato 3: cenas 1 e 2
* Da pág. 431 até a pág. 572   Nossas impressões
 09/10
  • Ato 3: cenas 3 e 4
* Da pág. 573 até a pág. 69Nossas impressões
 16/10
  • Ato 3: cenas 5, 6 e 7
  • Epílogo
* Da pág. 697 até a pág. 813Nossas impressões

                                                      
Boa Leitura!

Nice Sestari

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Diná Fernandes

Olá Caros Viajantes!


Se olharmos com zelo e cuidado, encontraremos belas palavras e muito carinho dedicado, por este mundo de meu Deus.

Assim como a Primavera nos presenteia com lindas flores e seus perfumes, a vida se encarrega também de nos presentear. 

Hoje nosso presente é o blog da Diná Fernandes, repleto de magia, poesia e de doçura! 

Compartilho com vocês uma de suas poesias. Lembrando que é com a devida autorização.
O coração se alegra com esses presentinhos!

     Viver ou não de aparências

   

Será que é viável e sensório,
transmitir aos olhos alheios
impressões mascaradas de
felicidade aparente?

Quem assim vive,
esconde a limpidez dos fatos,
mente pra si e pra todos.
A suposta felicidade é tragada
pela ilusão,
enfeita a’lma com pobres alegorias.

Há nos olhares atentos
a lupa invisível capaz de ler
com precisão o nosso interior.

Ser autêntico é ser capaz de ir ao espelho,
reconhecer-se, encarar os reflexos, rasgar a máscara,
vestir a capa da realidade, afagar a’lma, afastar a ilusão,
e possivelmente ser feliz... Creio!
A falsa aparência não coaduna com a verdade!

Diná Fernandes