quarta-feira, 6 de março de 2019

Sete Minutos Depois da Meia-Noite

Olá Caros Viajantes!

Hoje trago pra vocês um livro juvenil de fantasia (2011); a ideia original é de Siobhan Dowd, escrito por Patrick Ness com ilustrações de Jim Kay.
Este livro vem com uma carga emocional forte, temas como perdas, luto, separações, desprezo, incompreensão, medos e, ao mesmo tempo, fala de amizade, amor, gratidão, coragem e esperança.

"_ Você não escreve sua vida com palavras _ explicou o monstro. _ Você escreve com ações. O que você pensa não é tão importante. Só é importante o que você faz." pg.149

O autor usa um garotinho de apenas 13 anos para nos mostrar os desafios que a vida vai traçando, sem pedir licença, sem se importar com sua opinião. Conor nos representa em sua totalidade. Por ser ainda criança, nos mostra como é vulnerável no âmbito familiar, no seu meio social e consigo mesmo, com seus medos e com vergonha dos seus pensamentos.

Outros personagens nos fazem refletir e perceber o quanto a vida é frágil, no caso da mãe de Conor, ela tem uma doença terminal e sua maior preocupação é seu filho. Como mãe, ela tenta de todas as formas fazer com que o filho enfrente com coragem sua realidade; com gestos de amor, ela vai semeando a vida de seu filho com senso de justiça, coragem, paciência e  gratidão. Ela não pode contar com o ex marido, este além de já ter formado outra família, tem personalidade fraca e é ausente como pai para Conor . 

Já a avó de Conor demonstra ser uma pessoa forte, apegada ao passado, de difícil diálogo e de pequenos gestos de carinho, porém está com muito medo de aceitar que, em breve, perderá a filha e terá que refazer a vida para cuidar de seu neto. São tantos conflitos de sentimentos!  

Nos identificamos em cheio com Conor, dividimos com ele toda angústia e medo. E com maestria o autor mistura drama, fantasia e uma pitada de terror, representado pelo monstro, que toda a noite exatamente aparece às 00h07, para fazer com que Conor fale o que realmente carrega em seu coração.

Conor com toda a situação, não tem tempo para vivenciar sua adolescência e nem mesmo fantasiar seus dias. Porém, o monstro não dá trégua e insiste em contar três histórias para que ele reflita que nem tudo o que parece é, que ele se reconheça e aceite toda e qualquer situação. O monstro exige que Conor conte a quarta história, que o fará encarar aquilo que ele mais tem medo.

"...Isso foi algo que o monstro com certeza lhe ensinou. As histórias eram animais selvagens e iam em direções inesperadas."  pg 104

Mesmo que o monstro da árvore pareça seu inimigo, ele vem para ajudar e fazer com que Conor cresça e tenha uma vida plena.

"_ Histórias são importantes _ disse o monstro. _ Elas podem ser mais importantes do que tudo. Se forem sinceras." pg 107

Um livro envolvente, bem construído, que nos faz chorar, refletir e, principalmente, nos questionar sobre a vida!

Há também o filme de mesmo nome, maravilhoso e fiel ao livro. Vale conferir!



Até a próxima e boas leituras!
By Nice Sestari


3 comentários:

  1. Oi Nice, esses temas, sobre perdas de pessoas que amamos é algo que procuro evitar, ainda me deprime. Mas fiquei de olho em um livro que você citou, sobre o apostolo Lucas, quero ver se encontro.
    Muitos beijos,Vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meninas obrigada pela visita! Vocês são muito queridas e admiradas por nós, bjs!

      Excluir
  2. Oi Pepa! O livro sobre Lucas é 'Médico de homens e de almas' da autora Taylor Caldwell. Esse livro é sensacional!

    ResponderExcluir