segunda-feira, 13 de maio de 2019

#13 Presente Literário

João da Cruz e Sousa (1861-1898)
Teve uma boa educação com o auxilio de seu ex-senhor, Marechal Guilherme Xavier e Sousa, e de sua esposa. João da Cruz adotou o nome da família, Sousa. Ele aprendeu Latim, Grego e Francês. Também aprendeu Ciências Naturais e Matemática, sendo discípulo do alemão Fritz Müller.

Dirigiu o jornal Tribuna Popular (1881), combateu a escravidão e o preconceito racial. Cruz e Sousa foi recusado como promotor de Laguna (1883), por ser negro. Trabalhou como arquivista na Estrada de Ferro Central do Brasil, colaborando com diversos jornais.

Suas obras 
Tropos e Fantasias (1885) poemas em prosa, em parceria com Virgílio Várzea; 
Missal (1893) poemas em prosa; 
Broquéis (1893) poesia, dando início ao simbolismo no Brasil que se estendeu até 1922. 
Obras póstuma

Evocações (1898, poemas em prosa) 
Faróis (1900, poesia) 
Últimos Sonetos (1905) 
Dispersos (1961, poemas em prosa) 
O livro Derradeiro (1961, poesia) 
Outras evocações (1961, poema em prosa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário